Make your own free website on Tripod.com

A Palavra Revelada

A opção de Eliezer
Gênesis 24
(para rapazes, moças, pais e mães)

Pr Jehozadak A. PereiraVocê sabe quem foi Eliezer? Certamente vai me dizer que foi o segundo filho de Moisés. Mas o Eliezer que eu quero falar é o de Gênesis 24. E por que? Porque este homem foi o protagonista de uma importante escolha, talvez a mais importante da vida de Isaque, pois ele foi designado por Abraão para ir buscar uma esposa para o seu filho.

O filho da promessa de Deus

Não vou discorrer aqui sobre qualidades e defeitos. Vou procurar mostrar como Eliezer fez a escolha. 
A escolha certa.
Primeiro Abraão preocupou-se com quem seu filho iria se casar. Impôs ao seu fiel servo um padrão. O seu filho não deveria se casar com qualquer uma. Deveria se casar com uma filha dos seus - do seu povo. A gente daquele lugar não serviria para dar ao seu filho a esposa ideal e adequada. Isto me faz lembrar a responsabilidade de pais e mães, que é de oferecer aos seus filhos a escolha certa e correta.
Quantos pais há que não se preocupam com as escolhas dos seus filhos e filhas? Deixam isto a cargo do pastor ou do dirigente da mocidade, como se isto fosse responsabilidade deles. Vivemos numa sociedade onde quem escolhe seus maridos e esposas são os próprios filhos e filhas, e eles nem sempre saberão o que escolher, ou como escolher. Muitos negligenciam isto, deixando que os filhos façam a escolha, e eles muitas vezes fazem a escolha errada, e pagarão por isto o resto de suas vidas.

Queiram ou não

Vejam que a opção de Abraão para Isaque era tão séria, que este fez Eliezer jurar que ofereceria a Isaque uma moça que não fosse aquela do povo a quem ele havia escolhido. Igualmente, deu um outro preceito: que não levasse para lá Isaque, sobre pretexto algum. Abraão tinha por certo que Deus o queria e a sua descendência na Terra Prometida. A sua confiança era tamanha que ele diz ao servo que Deus enviaria um anjo para que o encontro fosse o adequado. É lógico pai e mãe que se você se preocupar com isto o seu filho e filha não o responsabilizará se fizer uma escolha errada. É certo de que a escolha deve ser feita dentro dos padrões bíblicos.

Vejam que a prescrição de Abraão dizia que TINHA de ser alguém do seu próprio povo. Isto significa que a sua escolha TEM de ser do seu próprio meio. Se você quer fazer a vontade de Deus como Abraão fez, este é o caminho.
Devo dizer que Deus NÃO referendará a sua escolha, por melhor que você acha que ela seja. Tenha isto em mente. Veja na sua igreja, no seu povo. Observe com atenção, faça silêncio e ouça a voz do Senhor a lhe dizer que o ou a escolhida está diante do seu nariz. Não importa que ele não seja o gatinho que você deseja, ou que ela não seja a princesa dos seus sonhos. Necessariamente deve ser aquele ou aquela que Deus tem preparado para você. 

Concorda?

Conheço muitos casos de gente que foi buscar o seu esposo ou esposa em lugares que não o seu, e contra tudo e todos afrontaram Deus, achando que a sua escolha pessoal era a adequada, e deram como dizemos com os burros n'água. Acharam que um suposto amor resolveria tudo. Esquecem-se de que antes do amor vem a vontade soberana de Deus. Negligenciam este preceito importante e o preço que pagarão durante as suas vidas será alto demais, e o resultado via de regra é infelicidade e frustração. 
Que o digam os pastores que recebem nos seus gabinetes, casais e mais casais problemáticos, principalmente por causa de escolhas erradas. 
Há, logicamente as exceções. Mas elas são poucas. Pouquíssimas. E não justificam o risco.
Mas continuemos com Eliezer. A sua missão era tão importante que ele recorre ao Senhor para que a sua tarefa seja aliviada e que Deus o poupe de uma escolha errada. Vejam em Gênesis 24:12 - Eliezer pediu um sinal e o colocou para o Senhor. Ele não pediu beleza física, riqueza, dotes, atributos. Nada. Pediu somente que o Senhor acudisse ao seu patrão com a ESCOLHA adequada. Pediu que o Senhor lhe desse um bom encontro. Isto bastaria.
Não estou dizendo a você jovem que não deva procurar no seu parceiro beleza física, pois nestes nossos dias é atributo dos mais importantes, numa regra que a sociedade nos impõe e da qual não conseguimos escapar. 

O resto da história de Rebeca e Isaque e da fidelidade de Eliezer você pode ler no capítulo 24 de Gênesis. 
Nos nossos dias a sexualidade é exacerbada e estimulada, e os nossos jovens vivem diante de todos os apelos possíveis e imagináveis. Os rapazes são incitados a ter tantas quantas namoradas possam ter. Uma moça por mais nova que seja tem uma lista de predicados e atributos que um rapaz deva ter, e invariavelmente a beleza física é o primeiro item. Estou errado? Um rapaz ou uma moça aos dezoito anos já ficou com tantos que perdem a conta. 
Duvidam disto? Pergunte ao seu filho ou filha e não se espante com as respostas. Já beijaram tantos parceiros e parceiras que se você pedir que eles enumerem todos, certamente a lista vai ficar incompleta para seu espanto.

Imaturidade de jovens, vocês podem me dizer. Errado. Se estes jovens são imaturos a culpa é exclusivamente nossa como pais que não orientamos nossos filhos da forma adequada. E notem que não estou falando de envolvimento sexual, pois se for entrar por ai será definitivamente estarrecedor.
Pais têm o dever de saber com quem seus filhos se relacionam. Conheço um pai cuja filha estava sendo assediada por um jovem na igreja. O rapaz queria namorar a moça de qualquer jeito. A família havia chegado naquela igreja há pouco tempo e não conheciam a todos ainda. O que fez o pai? Foi conversar com o pastor e pedir informações a respeito do rapaz. As informações foram as piores possíveis. O rapaz já havia rompido com dois noivados, um deles à véspera do casamento. E dizia-se apaixonado pela recém-chegada.

A dedução do pai foi lógica. Se ele havia ficado noivo duas vezes, a sua filha seria então por dedução a terceira. Basta dizer que a atitude dele foi de reprovação total e o galante foi noivar (pela terceira vez, e com o noivado já devidamente desfeito) em outra freguesia. Você pode me perguntar se a atitude daquele pai seria a mesma se fosse o filho dele a açodar a filha de outro. Posso garantir que sim, seria a mesma atitude.

Portanto, rapazes e moças, peçam a Deus que lhes de um bom encontro, segundo a vontade soberana Dele, ouça o que seu pai e mãe, ou o seu pastor têm a lhe dizer a respeito da sua escolha. Já notou que o seu pai, mãe e o seu pastor sempre têm razão no que falam acerca do seu namorado ou namorada?
Aos pais e mães, orem, orem fervorosamente a Deus pedindo que seus filhos e filhas tenham para si esposas e maridos crentes, tementes a Deus, fiéis e idôneos e não hesitem em tomar a atitude de Eliezer, que pediu ao Senhor que o abençoasse e lhe desse um bom termo para a sua tão importante tarefa.

Que Deus os abençoe a escolher para si o que ele já tiver preparado.

Jehozadak A. Pereira
jehozadakpereira@hotmail.com
É jornalista e escritor

Brockton, Massachussetts, EUA

Copyright (c) 2001
Todos os direitos reservados ao autor

Voltar a Seção Pontos